quarta-feira, 21 de março de 2012

Campanha contra o uso do crack.

Fonte: imagem google
A sociedade tem-se mostrada bastante preocupada com o avanço do uso desta droga, pois ela  é cerca de cinco vezes mais potente que a cocaína, sendo também relativamente mais barata e acessível que outras drogas, o crack tem sido cada vez mais utilizado, e não somente por pessoas de baixo poder aquisitivo, e carcerários, como há alguns anos. Ele está, hoje, presente em todas as classes sociais e em diversas cidades do país. Assustadoramente, cerca de 600.000 pessoas são dependentes, somente no Brasil.
Neurônios vão sendo destruídos, e a memória, concentração e autocontrole são nitidamente prejudicados. Cerca de 30% dos usuários perdem a vida em um prazo de cinco anos – ou pela droga em si ou em consequência de seu uso (suicídio, envolvimento em brigas, “prestação de contas” com traficantes, comportamento de risco em busca da droga – como prostituição, etc.). Quanto a este último exemplo, tal comportamento aumenta os riscos de se contrair AIDS e outras DSTs e, como o sistema imunológico dos dependentes se encontra cada vez mais debilitado, as consequências são preocupantes.
Superar o vício não é fácil e requer, além de ajuda profissional, muita força de vontade por parte da pessoa, e apoio da família. Há pacientes que ficam internados por muitos meses, mas conseguem se livrar dessa situação.

Tendo em vista todas estas situações o governo brasileiro tem-se  mostrado preocupado em garantir o combate deste mal, para isso vem criando medidas de combate, que encontra-se registrado num site criado para isso.
Veja no link abaixo mais informações:


http://www.brasil.gov.br/enfrentandoocrack/home

Nenhum comentário:

Postar um comentário